fbpx

Tabela do sono: quanto tempo o seu filho deve dormir?

As crianças que dormem menos tempo do que o aconselhado ou que apresentam distúrbios decorrentes do sono podem ter problemas no desenvolvimento físico, no fortalecimento do sistema imunológico, na consolidação da memória e dificuldades no relaxamento muscular. Conheça a nova tabela do sono segundo as recomendações da Academia Americana de Medicina do Sono.

Tabela do sono infantil

Sabia que, na infância, cerca de 90% do hormônio de crescimento é liberado durante o sono? Conheça as novas recomendações para os períodos mínimos e máximos de sono adequados a cada faixa etária. Durante o sono há renovação celular, produção de hormonas e anticorpos para melhorar depressa de lesões assim como síntese de proteínas e regulação metabólica. Nas crianças o sono contribui de forma importante para o seu crescimento corporal.

A Academia Americana de Medicina do Sono (American Academy of Sleep Medicine – AASM) divulgou (junho de 2016) novas recomendações onde estabelece períodos mínimos e máximos adequados a cada faixa etária.

Esta declaração foi subscrita pela Academia Americana de Pediatria (American Academy of Pediatrics – AAP).

No entanto, alerta para o facto de que o tempo para um sono reparador variar de acordo com as características pessoais. Refere também que dormir de mais é tão mau como dormir pouco, estabelecendo limites mínimos e máximos aceitáveis.

Tabela do sono – novas recomendações para as horas diárias de sono

  • Lactentes dos 4 aos 12 meses: 12 a 16 horas por 24 horas (incluindo sestas)
  • Crianças de 1 a 2 anos: 11 a 14 horas por 24 horas (incluindo sestas)
  • Crianças de 3 a 5 anos: 10 a 13 horas por 24 horas (incluindo sestas)
  • Crianças de 6 a 12 anos: 9 a 12 horas sono noturno por 24 horas
  • Adolescentes de 13 a 18 anos: 8 a 10 horas sono noturno por 24 horas

Não foram contempladas nestas recomendações da tabela do sono idades inferiores a 4 meses devido a uma ampla variação dos normais padrões e duração de sono nesta faixa etária, bem como à insuficiente evidência científica de associação com consequências na saúde.

A importância das sestas

Ao nascer, os ciclos de sono não são influenciados pela alternância entre o dia e a noite. O bebé dorme em média 17 horas e é a fome que o desperta. Gradualmente, após o 1º mês de vida, o sono vai-se consolidando em torno do período noturno.

Por volta dos 6 meses o lactente faz 2 a 3 sestas durante o dia. A partir de 1 ano de idade, a duração do sono diminui em média para 14 a 11 horas e a criança faz três períodos de sono, um de noite e dois de dia: de manhã e à tarde.

Entre os 15 e os 30 meses de idade suspende espontaneamente a sesta da manhã, mantendo a sesta da tarde que só abandonará entre os 3 e os 5 anos, ou mais tarde, em algumas crianças.

Como promover uma boa higiene do sono?

  1. Promover um horário regular de deitar a criança todos os dias mantendo essa regularidade aos fins-de-semana, com uma diferença máxima de 30 minutos.
  2. Ter uma rotina de deitar estabelecida com um ritual que precede a ida para a cama sempre idêntico (vestir o pijama-lavar os dentes-contar história, a título de exemplo).
  3. Deitar a criança ainda acordada permitindo o uso de objeto de transição como uma fralda, chucha ou boneco.
  4. Evitar adormecer em local que não a própria cama.
  5. Evitar atividade estimulante antes de adormecer como exercício físico.
  6. Não permitir a utilização de ecrãs (televisão, telemóvel, tablet ou consola de jogos) antes de adormecer.

by: maemequer.pt

Facebook Comentários